Home INDÚSTRIA CADE aprova sem nenhuma restrição a compra da Gaspetro pela Compass

CADE aprova sem nenhuma restrição a compra da Gaspetro pela Compass

O CADE aprovou a aquisição da Gaspetro pela Compass sem nenhuma restrição, após a empresa compradora apresentar plano de negócio

by Valdemar Medeiros
CADE aprova sem nenhuma restrição a compra da Gaspetro pela Compass

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta (21), sem restrições, a compra de 51% de participação da Petrobras na Gaspetro pela Compass, da Cosan. No julgamento três conselheiros votaram por impor condições e quatro pelo aval sem restrições.

CADE tem medo que Gaspetro se torne uma gigante no mercado

Grande parte do conselho demonstrou preocupações de que a transação da Gaspetro desenvolva uma nova gigante do gás, com a Compass passando a ter uma grande participação de mercado, principalmente nos estados de São Paulo e Santa Catarina. A principal divergência durante o julgamento foi sobre a necessidade de tornar obrigatória a venda de 12 distribuidoras pela Compass.

Durante o processo, a empresa apresentou um plano de negócio que previa o desinvestimento de uma dúzia de empresas, de um total de 18 adquiridas no negócio.

Votos no CADE sobre a compra da Gaspetro pela Compass

O relator do processo, Luiz Hoffman, votou pela aprovação da compra da Gaspetro sem restrição por entender que a intenção apresentada pela Compass de se desfazer de distribuidoras é suficiente. Já o conselheiro Luiz Braido apresentou voto divergente em que tornava obrigatória a venda, em até três anos, das 12 empresas. O voto também determinava que a Compass e outras empresas não poderiam celebrar novos contratos de venda de gás no mercado livre.

Compra de Gaspetro foi R$ 2,03 bilhões

Em julho do último ano, a Compass anunciou a compra da participação da Petrobras da Gaspetro por R$ 2,03 bilhões. A venda é uma das medidas tomadas pela estatal para cumprir o Termo de Compromisso de Cessação (TCC), assinado em 2019 com o Cade, com o objetivo de fomentar a concorrência no mercado de gás natural.

No mês de março, a Superintendência-Geral do Órgão antitruste chegou a dar aval, sem restrições, à operação na Compass, entretanto houve recurso, o que levou o negócio à avaliação do tribunal.

Veja também

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais